100 ANOS DA DIOSESE DE SANTA MARIA

100 ANOS DA DIOSESE DE  SANTA MARIA

Tudo começou com a fé do povoado nascido nos acampamentos às margens dos arroios por volta de 1797 que teve como uma das primeiras ações a construção de uma capela. Neste domingo, o povoado que se tornou a cidade de Santa Maria comemora o centenário de sua Diocese.
Dentro da programação festiva, que começou no dia 15 de agosto de 2009 com missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida em São Paulo, está tríduo (que encerra neste sábado), missas com enfoque especial de ação de graças pelo centenário e badalar dos sinos de todas as igrejas ao meio-dia. Ainda está previsto o descerramento da placa alusiva aos 100 anos da Diocese na igreja matriz de cada paróquia.
As comemorações começaram há três anos e desde lá já foram realizadas diversas atividades alusivas ao centenário diocesano como as Missões Populares, impressão de 10 mil exemplares da Bíblia comemorativa do centenário e uma edição especial do jornal O Santuário com 80 páginas. Os festejos só terminam no dia 14 de novembro na 67ª Romaria da Medianeira com a presença dos Bispos do Estado e das relíquias do Pe. São Roque Gonzaléz e de São Pio X, Papa criador da diocese.
Renovação dos votos – Conforme o bispo da Diocese de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert, a comemoração dos 100 anos é momento para renovar os votos do batismo e reanimar a fé. “É um momento único para nós neste primeiro centenário. É uma grande hora de louvor à Deus que nos mostra maravilhas em diversas formas. É omento de reanimar nossa fé em Deus, esse Deus que caminha conosco”, afirmou Dom Hélio.
Conforme ele, desde o início das comemorações já está sendo possível perceber a renovação dos fiéis e que muitos estão aproveitando o momento do centenário para retornar à igreja. “O centenário é algo dinâmico e já é possível ver que os fiéis abraçaram a causa. É momento único na nossa história”, disse Dom Hélio. O lema do centenário da Diocese é Que a Igreja de Santa Maria seja casa e escola de comunhão dos discípulos missionários de Jesus.
Para o futuro – Avaliando esse centenário da Diocese, o Padre Francisco Bianchin, conhecido como Padre Xiko, aponta que na medida do possível, as paróquias conseguiram acompanhar a evolução da sociedade. “Nem sempre é como deveria ser mas a avaliação é positiva. Uma questão que não conseguimos acompanhar foi o crescimento da sociedade e o número de vocações. Hoje há poucos padres para muitos fiéis”, avaliou Padre Xiko, que espera uma Diocese renovada e com mais pastorais para daqui a 100 anos mas seguindo sempre os mesmos valores.
Já o bispo Dom Hélio conta que para os próximos 100 anos da Diocese, ele espera que ela cumpra a sua missão de louvar Jesus Cristo, anunciar o Evangelho e ter cuidado com os marginalizados. Sobre a questão das poucas vocações o bispo comenta que, para isso, a solução são os fiéis. “Não é só de padres que precisamos, mas também de batizados que assumam a Igreja. Há a necessidade de maior fidelidade e isso falta na sociedade”, apontou.
Fonte: Jornal A Razão 14 e 15 /08/2010
FOTOS:
Construção da Basilica Medianeira década de 70;
Missa Catedral 1958
Funeral D. Antonio Reis 1960
Museu Sacro de Santa Maria
D. Ivo Lorscheiter e Dom Albino Luciano- João Paulo 1º  Visita as Crianças de Santa Maria.


FONTE DAS FOTOS: Jornal Diário de Santa Maria 14 e 15 de 08/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails