HISTÓRIA DA GARE DE SANTA MARIA

Parte do enorme pátio da estação de Santa Maria, em 2003. Foto Alfredo Rodrigues


E. F. Porto Alegre a Uruguaiana (1885-1898)
Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1898-1920) 
V. F. Rio Grande do Sul (1920-1975)
RFFSA (1975-1996)

Linha Porto Alegre-Uruguaiana - km 515,481 (1960)RS-1495

Inauguração: 13.10.1885
com trilhos
Data de construção do prédio atual: 1885

HISTORICO DA LINHA: A E. F. Porto Alegre-Uruguaiana foi aberta como empresa federal em 1883, ligando Santo Amaro (Amarópolis) a Cachoeira (Cachoeira do Sul). Para se ir de Santo Amaro a Porto Alegre utilizava-se a navegação fluvial no rio Jacuí. Em 1898 foi encampada pela Cie. Auxilaire, empresa belga, e em 1905 passou a ser a linha-tronco da VFRGS, ainda administrada pelos belgas. Em 1907, os trilhos atingiram finalmente Uruguaiana, na fronteira com a Argentina. Somente em 1911, a construção da linha Santo Amaro-Barreto-Montenegro possibilitou a ligação da longa linha com a Capital, utilizando-se parte da antiga linha Porto Alegre-Novo Hamburgo. Em 1920, a linha tornou-se estatal novamente. Em 1957 foi encampada pela RFFSA. Durante os seus anos de operação foram construídas algumas variantes, para encurtar tempos e distâncias, eliminando algumas estações de sua linha original. Em 1938, a variante Diretor-Pestana-Barreto diminuiu a linha em 50 km. Em 2 de fevereiro de 1996, deixaram de rodar os trens de passageiros pela linha, que, hoje transporta os trens cargueiros da concessionária ALL desde esse mesmo ano.

A ESTAÇÃO: A estação de Santa Maria da Bocca do Monte foi inaugurada em 1885 pela E. F. Porto Alegre-Uruguaiana, uma empresa pública gaúcha. "A estação foi construída em terreno doado por Ernesto Beck e provavelmente já estivesse pronta em 1885, embora o pesquisador Antonio Isaia aponte o ano de 1900 como o da inauguração do prédio atual. Inicialmente teria existido apenas a edificação central de dois pavimentos e um anexo térreo, a leste, que já não existe mais. No começo da década de 1920, já com a VFRGS na administração da ferrovia, foi construída a plataforma coberta para embarque e desembarque de passageiros" (Texto do livro Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, 2002, pág. 67). A sua vocação para entroncamento- a população quintuplicou nos 20 anos seguintes à chegada da ferrovia - era notória: quando Teixeira Soares ganhou a concessão para a linha ligando Itararé ao Rio Grande do Sul, escolheu Santa Maria da Bocca do Monte para o seu final, em 1889. A partir de 1894, passou a sair o ramal que encontraria em 1910 a estação deMarcelino Ramos e consequentemente a ligação ferroviária paraSão Paulo e Rio de Janeiro. Atualmente a estação está abandonada, desde que cessaram os trens de passageiros, em 02/02/1996. "Hoje, a estação é sobrevivente de dois incêndios criminosos e roubo de material de construção, por parte de invasores (sem teto), no terreno após a linha férrea" (Milton Gallas do Amaral, 11/2006). (Fontes: Gazeta Mercantil, edição de 1996; Guias Levi, 1940-1981; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, 2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; Milton Gallas do Amaral, 2006; Flavio Cavalcanti, 1992; Roni Vasconcelos Fontoura, 2002; Alfredo Rodrigues, 2003).
Acima, o pátio da estação de Santa Maria, por volta de 1998, mostrando diversos vagões e um carro, já abandonados na época (Foto Alfredo Rodrigues)
Parte do enorme pátio da estação de Santa Maria, em 2003. Foto Alfredo Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails