FALECIMENTO PAULINHO Bilheteiro

No dia 28/03/2013 veio a falecer em Santa Maria o Paulinho Bilheteiro figura conhecida e querida na nossa cidade.


Um gigante de alma chamado Paulinho
Não existe personagem mais popular em Santa Maria que Paulo Neron Rodrigues, o Paulinho Bilheteiro, de 74 anos. Todos o conhecem na cidade, todos gostam dele, independente de raça, cor, credo ou classe social. Tanto, que há uma palavra que é constante nas declarações daqueles que convivem com essa figura humana ímpar da cidade: um gigante.
O que pouca gente sabe, principalmente os mais jovens, é que aquele senhor baixinho que está sempre alegre vendendo bilhetes de loteria há mais de 50 anos na boca da Primeira Quadra, hoje chamada de Calçadão, tem uma faceta artística singular: entre 1959 e 1983 ele literalmente arrebatou plateias infantis nas peças produzidas pela
Escola de Teatro Leopoldo Fróes, dirigida pelo inesquecível Edmundo Cardoso. Quem recorda desta época é Gilda Cardoso, filha de Edmundo e também atriz da Leopoldo Fróes. “Em 1959, Paulinho começou no teatro com a peça ‘O Casaco Encantado’, encenada no Instituto de Educação Olavo Bilac, e não parou mais. E o sucesso foi tanto com a criançada que ele ajudou, e muito, a formar uma plateia ávida pelo bom teatro na cidade. Paulinho ajudou, com certeza, a construir a história do teatro infantil de Santa Maria”
E pesquisando nos arquivos da Casa de Memória Edmundo Cardoso, Gilda relembra as peças que Paulinho participou, sempre com casa lotada e quase sempre encenadas no Cine Teatro Imperial, Colégio Olavo Bilac e Clube Caixeiral: O Casaco Encantado (1959); Pluft: O Fantasminha (1960); O Cavalinho Azul (1963); Marta Minhoca (1968); A Revolta dos Brinquedos (1971/72); Dona Patinha Vai Ser Miss (1975/76); Marequinha Fru-Fru (1978); Joãozinho Anda Para Traz (1983)…Ricardo Ritzel ( Jornal A Razão)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails